Notícias

Um empresário de sucesso com orgulho nas suas raízes

Nasceu há 50 anos em Cernache do Bonjardim e hoje é um empresário de sucesso no ramo da informática. Durante hora e meia falámos com Fernando Amaral, e ficámos a conhecer o percurso de vida de alguém que se iniciou nos negócios ainda pequeno, na mercearia do seu pai, e hoje é detentor de oito empresas, mantendo a humildade e simplicidade com que foi educado.
Um empresário de sucesso com orgulho nas suas raízes

Nasceu há 50 anos em Cernache do Bonjardim e hoje é um empresário de sucesso no ramo da informática. Durante hora e meia falámos com Fernando Amaral, e ficámos a conhecer o percurso de vida de alguém que se iniciou nos negócios ainda pequeno, na mercearia do seu pai, e hoje é detentor de oito empresas, mantendo a humildade e simplicidade com que foi educado.


Fernando Amaral tem 50 anos

Começa logo por dizer que é um cernachense com muito orgulho e é contagiante o entusiasmo com que fala das suas raízes. “As pessoas têm uma tendência para esquecer as suas origens, não é de longe o meu caso”, faz notar.
O rapaz, o mais velho de três irmãos, que ajudava o seu pai na mercearia de Cernache do Bonjardim, é hoje um empresário de sucesso, que emprega mais de 150 pessoas.
A garra com que fala dos seus projetos e das suas empresas deixa transparecer o quanto teve de lutar para aqui chegar, sem nunca esquecer as suas raízes, onde faz questão de voltar quase todas as semanas.
A coincidência de Fernando Amaral completar 50 anos no mesmo ano em que as suas duas maiores empresas, de um grupo de oito, atingirem os 35 anos de atividade: a Sendys e a Alidata, eram um bom pretexto para a entrevista. Estas empresas, ambas softwarehouses (empresas produtoras de software), são as mais antigas empresas portuguesas do sector e representam dois marcos na história das tecnologias da informação em Portugal.

Empresário Fernando Amaral no seu “Labseal” na Sertã

Facto revelador da sua profunda ligação à terra natal e ao concelho da Sertã (que sublinha, sempre que é entrevistado na imprensa, rádio ou televisão), é que foi aqui que sediou o grupo empresarial que, neste momento, é composto por oito empresas, todas na área das tecnologias da informação, exceto uma, que é uma agência de publicidade.
Com o objetivo de dar o seu contributo para a fixação, na Sertã, de capital humano mais qualificado, de conhecimento avançado e criação de emprego local, é no SerQ – Centro de Inovação e Competências da Sertã, que o grupo tem localizada a LabSeal, o polo de desenvolvimento tecnológico de apoio às empresas do Sendys Group, inaugurado pelo antigo Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho em 2015. É aqui que também organiza eventos das empresas dirigidos a colaboradores, às empresas da região e à comunidade.
Outro aspeto que importa realçar é que Fernando Amaral privilegia o recrutamento de trabalhadores dos concelhos do Pinhal Interior para as empresas do seu grupo em Portugal e no estrangeiro.
Isto, para além de ter uma relação estreita com o Instituto Vaz Serra, em Cernache do Bonjardim, onde quadros das suas empresas lecionam de forma graciosa sobre as suas áreas de competência.
O Sendys Group é hoje um grupo empresarial cuja génese começa em 2009, quando Fernando Amaral lidera o spin-off da multinacional de consultoria CapGemini e cria a empresa tecnológica autónoma, Sendys.
Apenas dois anos depois, em 2011, adquire a Alidata, softwarehouse leiriense, líder em soluções tecnológicas para a indústria e sector automóvel e oficinal. Como curiosidade, Fernando Amaral já havia trabalhado na Alidata quando ainda jovem, na altura em que estava na faculdade.
Atualmente o grupo emprega mais de 150 colaboradores e fatura mais de 8 milhões de euros. Está presente em Portugal, Angola, Moçambique, Brasil e China e tem perspetivas de alargar a sua presença brevemente a outras geografias.
Como curiosidade e prova de sucesso das empresas deste Sertanense, o software de gestão documental e de impressão chamado Sendys Explorer (www.sendysexplorer.com) está implementado em mais de 90 países dos cinco continentes, com o envolvimento direto do gigante mundial japonês de impressão, a OKI. Uma solução de sucesso que tem um suporte 24 horas/dia, 365 dias/ano, que funciona a partir da Alidata. O site está disponível em 24 línguas.

Fernando Amaral é o mais velho de três irmãos

O seu pai tinha uma mercearia em Cernache do Bonjardim, vila onde viveu até aos 17 anos e dali partiu para Lisboa quando ingressou no curso de direito. Trabalhava de dia (na Prológica) e estudava à noite.
Mas, na realidade, a sua primeira universidade foi a mercearia do seu pai que, garante, foi o melhor professor que teve. A educação que recebeu, moldou não só a sua a sua personalidade mas sobretudo a sua maneira de estar perante os outros.
Aos 13 anos já fazia a contabilidade da mercearia do seu pai, numa altura em que não tinha máquina de calcular. Pai que era também mediador de seguros da Império e da Aliança Seguradora. Sendo o mais velho de três irmãos, caia-lhe nos ombros a responsabilidade de dar o exemplo.

Um empresário de sucesso com orgulho nas suas raízes

No seu primeiro emprego em Lisboa, em poucos meses conseguiu que fosse aumentado de ordenado, em reconhecimento da sua capacidade de trabalho numa altura em que a informática dava os primeiros passos em Portugal.
A ganhar bem na empresa onde trabalhava, abandonou o curso de direito. Aliás, dos três irmãos foi o único que não concluiu os estudos. É, no entanto, o mais bem-sucedido.
Facto que marcou a sua vida na juventude foi a morte do pai, quando Fernando tinha 23 anos. Ficou com a responsabilidade acrescida de orientar os seus irmãos mais novos e dar apoio à sua mãe.
Para agravar a situação, aos 24 anos foi-lhe diagnosticado um cancro maligno nos pulmões o que o levou a fazer quimioterapia durante um ano. Mas os obstáculos não ficavam por aí, aos 30 anos Fernando sofreu um enfarte.
Estes revezes fizeram com que olhasse a vida e os seus semelhantes com outros olhos e a valorizar as coisas simples. Aos 39 anos e a ganhar um bom ordenado decidiu abandonar a sua zona de conforto. Saiu da empresa onde trabalhava para se dedicar ao seu próprio negócio, que começou com nove trabalhadores.
“Se calhar eu hoje trabalho mais do que trabalhava antes, mas o facto de termos tempo para organizarmos as nossas ideias, as nossas prioridades, não tem preço”, confessa o empresário.
E quando lhe perguntamos qual o segredo do seu sucesso, responde: “o segredo está naquilo que aprendi na mercearia do meu pai, está no serviço, no compromisso, na confiança que depositam em nós”.
“Nós gostamos de comprar a pessoas que nos inspiram confiança, em quem acreditamos, pessoas que vivem os nossos problemas. Eu acredito que é na qualidade do serviço das pessoas que está o segredo”, diz Fernando Amaral. Um empresário que mantém uma relação muito próxima com os seus clientes de que é exemplo o facto de todos terem o seu número de telemóvel e saberem que podem ligar a qualquer hora.
“Servimos pessoas, mudamos negócios” é o slogan da empresa, que traduz o lado mais relacional e mais pessoal deste grupo empresarial em relação aos clientes.
Ainda quanto aos fatores de sucesso, o empresário faz questão de realçar o contributo da sua família, sobretudo os irmãos, para atingi-lo.

Algumas frases inspiradoras para Fernando Amaral

A sua versatilidade e capacidade levaram-no a que fosse trabalhar para a Rádio Condestável onde foi o primeiro empregado.
“Até aos 20 anos pensava que o meu pai era um bandido, que me obrigava a trabalhar, a ter objetivos. Mas quando cheguei a Lisboa descobri que o meu pai não era nada disso, mas que tinha montado uma bomba atómica em comparação com os outros miúdos. Eu tinha uma lógica da vida, do negócio, completamente diferente dos outros”, relata Fernando Amaral.
Assegura que “os nossos pilares, as nossas bases, estão no sítio onde a gente nasceu, onde a gente viveu”.

Puxar pelo interior

Durante a entrevista com Fernando Amaral percebe-se que é bastante crítico em relação aos dirigentes políticos e autárquicos, crítica que estende aos próprios eleitores, por serem pouco exigentes. “Se fossemos mais exigentes, os políticos seriam muito melhores do que que são”, defende.
A sua decisão de instalar o grupo empresarial que detém na Sertã foi uma forma de dar o exemplo de que era possível ter no interior do país empresas que são referência nacional na área. A dificuldade maior está em recrutar profissionais que queiram vir trabalhar para estas regiões menos desenvolvidas.
“É importante inverter esta tendência de as pessoas irem para Lisboa”, afirma, lembrando que as autoestradas em vez de contribuírem para trazer mais pessoas para o interior, resultaram no contrário, “serviram para levar o que de melhor havia nestas regiões”.
Reconhece que “não é fácil viver aqui”. A maior parte dos seus amigos não estão cá, vêm apenas ao fim de semana. Por isso sente-se apenas mais um “a tentar remar contra a maré” e a lutar por manter as empresas na Sertã.

A tecnologia cada vez mais presente

Quanto ao futuro numa área que evolui a uma velocidade vertiginosa, Fernando Amaral não arrisca prever como vai ser a realidade daqui a alguns anos. Tem apenas uma certeza: “a tecnologia vai estar cada vez mais presente”.
“As coisas estão a andar a uma velocidade que eu acho que ninguém consegue prever bem onde é que isto vai parar”, afirma.
Vê o futuro “muito tecnológico, com uma dependência muito grande da tecnologia e uma integração total de sistemas”. Acredita que vão aparecer novos “devices” e que vai passar a ser cada vez mais ténue a fronteira entre o ser humano e a máquina.
Numa área em que a concorrência vai ser cada vez maior, conforme prevê, a diferenciação tem de ser feita pelo serviço e pelo relacionamento mais próximo com o cliente.

Fernando Amaral instalou o grupo empresarial que detém na Sertã

Google, Facebook, Alibaba e Amazon são apenas alguns dos nomes que refere como exemplos de mudança no mundo da tecnologia. 
Fernando Amaral reconhece que “pela primeira na nossa história, o centro do mundo não está na Europa nem nos Estados Unidos, está sim no Oriente e isto vai mudar toda a relação de forças, porque tecnologicamente vai ser tudo igual, mas há coisas que nos vão diferenciar: a velocidade e a competitividade com que fazemos”.

O prazer da fotografia e das viagens
A fotografia e as viagens são dois prazeres de que Fernando Amaral não abdica. Diz que já teve o privilégio de visitar 70 países e é aí que põe em prática um dos seus hobbies favoritos: a fotografia. No Instagram vai partilhando algumas imagens e as paredes de instalações de algumas das suas empresas ostentam fotos captadas por si, sem qualquer tratamento de imagem, como faz questão de sublinhar.
Confessa ter “uma paixão enorme por África”, continente que considera ser de futuro, “tem um encanto e um potencial brutal”. É com um brilho nos olhos que fala de leões, rinocerontes e outros animais selvagens com quem interagiu em aventuras e experiências marcantes.
Tem também uma forte ligação ao desporto automóvel e por isso patrocina o piloto da terra Manuel Gião, até porque a sua empresa Alidata produz software para o mercado automóvel.
Fernando Amaral é casado mas não tem filhos e talvez por isso fale dos seus sobrinhos com um carinho muito especial.
O gosto de viver e de regressar à terra que o viu nascer e crescer levam a que viaje muito ao ponto de dizer em jeito de brincadeira que a A1 já tem uma faixa só para si.
A criança que ajudava o pai na mercearia é hoje um empresário de sucesso que ultrapassou a morte do pai, um cancro e um enfarte.
Fala com orgulho do seu percurso, da família, das suas empresas e das 150 pessoas que trabalham consigo.
“Gosto de viver. Vale mais viver 40 anos com alguma intensidade e alguma alegria do que viver 80 sem ter nada para contar”, conclui.

LER NO MEDIOTEJO.NET

Partilhar

Contacte-nos. Clique aqui.

Se necessita de mais informações, deixe-nos
a sua mensagem e entraremos em contacto consigo.